Blog

Transformação Digital: além da Tecnologia

Entenda o que considerar para realizar a Transformação Digital da sua empresa.

Transformação Digital: além da Tecnologia

14/12/2021
Partager:

Transformar digitalmente uma empresa ultrapassa a substituição de equipamentos e tecnologias antiquadas por outras mais modernas. Quando se fala em Transformação Digital, nos referimos a uma mudança cultural sem precedentes que impacta todas as esferas da sociedade. Muito mais do que ser um assunto sobre dispositivos tecnológicos, hoje o digital permeia todos os aspectos da vida cotidiana das sociedades modernas.

A trilha que conduz à maturidade digital corporativa passa, necessariamente, por uma estratégia de transformação empresarial que vai além do aspecto tecnológico no interior das companhias. Transformar implica comprometer-se com a mudança.

Para as empresas, este novo cenário de negócios vincula pessoas, dados e resultados com o propósito de criar as estratégias empresariais baseadas na informação, inovando a maneira como experimentamos o estudo, o entretenimento, o trabalho e a saúde. Para o Head de Digital Solutions da Meta, Marcello Bosio: “O próximo salto dos ‘negócios digitais’ terá como base toda uma nova cultura corporativa atrelada à tecnologia”.

O valor de uma empresa vai além das tecnologias que já possui, o que se vê refletido numa melhor experiência de trabalho e produção de soluções e serviços que beneficiam de forma direta todos os consumidores.

 

Da empresa tradicional à maturidade digital

 

Na configuração de um Digital Business de alta performance, fundem-se aspectos das incumbents (organizações tradicionais) com os das novas empresas, que nascem digitalizadas. Embora a Transformação Digital implique em profunda mudança cultural organizacional, há aspectos das empresas tradicionais que podem ser (re)utilizados na trajetória em direção ao formato de Digital Business.

Assim, a gestão do conhecimento direcionado às atividades de tomada de decisão – que têm impacto e relação direta com a distribuição de produtos e serviços – pode permanecer, ainda, vinculada à uma abordagem orientada ao fator humano. 

Na outra ponta, as novas tecnologias têm a capacidade de agregar a este modelo (um pouco mais estático) sistemas, máquinas e plataformas digitais que fornecem dinamismo às operações. Além disso, as novas tecnologias podem contribuir aportando conhecimento comunitário e experimentação para modelos ágeis de processos operacionais (para também imprimir dinamismo ao trabalho orientado à informação).

Complementarmente, estas duas ‘forças’, aparentemente opostas, se fundem para gerar novas soluções que acompanham o ritmo de tecnologias, colaboradores e clientes em constante transformação. Em suma, a partir dessas tecnologias, empresas, tradicionais ou não, devem estar abertas a se tornarem exemplos de Transformação Digital para atender às novas demandas de mercados cada vez mais diversificados e que são permanentemente transformados pelo avanço tecnológico e pelas mudanças culturais.

 

Componentes da transformação digital Corporativa

 

Ponto de partida para a Transformação Digital, o conjunto formado pelas estratégias digital e cultural é um verdadeiro marco quando uma organização pretende abordar os seus novos desafios de negócio. Neste estágio, as empresas precisam definir de maneira objetiva qual estratégia digital deverá ser adotada em conjunto com a gestão de mudança da organização que conduzirá a transformação tecnológica. “Na Transformação Digital, o objetivo maior é tornar uma empresa plenamente Data Driven, toda a massa de dados e informação deve ser estrategicamente coletada e modelada para que os dados ganhem um sentido ainda maior e assim adquiram mais valor. Este é, talvez, um dos maiores desafios das empresas tradicionais que estão na jornada de transformação cultural”, indica Bosio.

As mudanças culturais ocorrem de maneira acelerada, dado o acesso massificado às novas tecnologias. Neste contexto, as organizações que pretendem continuar rentabilizando os seus negócios devem adotar estratégias digitais específicas para atender às demandas de shareholders (mantenedores e acionistas) e stakeholders (demais atores impactados pelas ações da organização, incluindo clientes, colaboradores e fornecedores). 

Para um mundo mais digitalizado, são necessárias ações que cativem a atenção de um consumidor completamente permeado pela velocidade das atualizações tecnológicas. Não são poucos os cases em que empresas ‘analógicas’ permanecem vigentes por conta de uma profunda elaboração de estratégia digital. 

Algumas companhias, que hoje são completamente digitalizadas, reinventaram-se para desenhar estratégias escaláveis que as encaminhassem de vez para os negócios digitais. Empresas, como Amazon (outrora uma pequena livraria online nos Estados Unidos) e Apple (que de fabricante de dispositivos eletrônicos passou a distribuidora de música e marketplace de apps), são exemplos de como os pilares estratégicos da Transformação Digital quando aplicados podem transformar mercados completos de consumo de bens e serviços.

 

Plataformas Digitais ao alcance das organizações

 

As companhias tecnológicas dedicadas ao armazenamento e processamento de informações geradas em rede enfrentaram o desafio de desenhar projetos que fossem verdadeiras plataformas que permitissem o acesso aos dados de forma praticamente instantânea. A finalidade destes projetos buscava reduzir de forma gradativa (porém rápida) a dependência da informação armazenada localmente, no caso dos servidores in loco.

Sob estas necessidades, hoje conta-se com as plataformas de Cloud, Edge e Fog Computing, que se desenvolveram de forma simbiótica ao avanço técnico para se tornarem o principal suporte de soluções para o que atualmente denominamos IoT ou a internet das coisas.

De assistentes virtuais domésticos, chegando aos robôs controlados a distância para usos em agricultura e medicina, dificilmente haverá regressão na aplicação destas tecnologias em todos os setores econômicos da sociedade.

Entre outros benefícios, os serviços de nuvem estão atrelados diretamente a uma capacidade ampliada de gerar maior rapidez na tomada de decisões. Isto é possível porque em cada dispositivo conectado às diferentes nuvens (híbridas ou não), efetua-se processamento de dados autonomamente, por meio de uma série de análises extremamente elaborada para, posteriormente, alimentar bases de dados de maior complexidade e assim agregar-lhes valor. Finalmente, torna-se possível distribuir os resultados obtidos pelos aparelhos em uma rede especificamente configurada pela organização proprietária da informação.

 

Transformação Digital potencializada pelos dados

 

O uso de mecanismos de análise de dados aplicados à Inteligência Artificial para formular modelos preditivos para tomada de decisões é uma clara ilustração e se constitui como verdadeiro legado da Transformação Digital. Com esses mecanismos, é possível medir, por exemplo, o tempo e investimentos necessários para levar adiante novos projetos dentro de um ecossistema altamente produtivo.

Neste contexto, a Data Science (entendida como a encarregada pela extração de dados e análise de padrões para geração de insights) apresenta-se como uma ferramenta ideal para auxiliar os líderes das empresas ou decisores de negócios no direcionamento de importantes tomadas de decisão. Juntos, Ciência de Dados e Business Intelligence (que engloba a coleta, o processamento e monitoramento para uma otimizada gestão de negócios) são instrumentos cruciais para a execução de boas práticas durante a jornada de Transformação Digital.

Como pilar de estratégia transformadora, a Inteligência de Dados faz uso de ferramentas, como Machine Learning ou Deep Learning, que têm por função acelerar projetos e soluções digitais em direção a um mercado ávido por novos produtos. “Os dados são o ‘coração’ da Transformação Digital”, indica Adriana Tavares, encarregada da área de Digital Business da Meta. “O uso de soluções tecnológicas (tais como IA) em contextos de Digital Business beneficia colaboradores, usuários e os próprios clientes”, indica a expert.

À medida que se vincula a Data & Intelligence às Metodologias Ágeis para modelagem de dados, também se potencializa a entrega e o time-to-market de novas soluções para impactar o mercado consumidor.

 

Transformação Digital potencializada pela Agilidade

 

Outro elemento relevante da Transformação Digital Organizacional diz respeito à Agilidade e de que maneira esta deve estimular um ambiente propício à rápida inserção de modelos para acelerar processos de inovação que podem ser desenhados de forma escalonada ou em camadas. “As organizações já compreenderam que uma transformação ágil demanda uma grande transformação da cultura empresarial interna. Para que os resultados sejam satisfatórios nestes processos, a execução dos processos ágeis de transformação deve ser balizada por profissionais que veem na tecnologia uma ferramenta de apoio para profundas mudanças organizacionais”, relata Bosio.

Os métodos de agilidade, que já foram a base para o desenvolvimento de soluções em software, se tornaram ferramentas imprescindíveis na Transformação Digital. Por meio de metodologias que permitem analisar problemas complexos e escalonar soluções, a Transformação Ágil permite que as organizações mapeiem os processos e façam as correções de rota necessárias. Adaptabilidade, agilidade e flexibilização guiam as práticas das instituições que incorporam as ferramentas ágeis em seus valores.

A Metodologia Ágil ganhou adeptos à medida que cristalizou de forma definitiva as melhores práticas para permitir que as empresas tradicionais e até startups executassem organizadamente os seus próprios projetos de gestão e inovação. Os métodos ágeis são uma parte essencial que integra a totalidade de um processo maior e assumem diferentes formas nos variados estágios de uma transformação empresarial.

Outra aplicação da agilidade pode se dar quando uma organização experimenta uma nova tecnologia que possa resolver um problema de negócio mais específico. Neste estágio, aplica-se o ágil como um método de desenvolvimento que é caracterizado pela divisão de tarefas em períodos curtos de trabalho que passam por frequentes avaliações e adaptação de planos (adequações). De projeto em projeto, as organizações já se encontram em sua própria jornada de Transformação Digital, e, neste contexto, a metodologia ágil fornece certo grau de “naturalidade” a processos que requerem maiores níveis de abstração.

Uma das mais importantes questões referentes à aplicação da metodologia ágil nas organizações é a que diz respeito ao impacto cultural nos colaboradores. Serão eles os verdadeiros “embaixadores” dos valores adquiridos nos processos de Transformação Digital dos quais são partícipes e protagonistas. Afinal, a inovação que nasce da agilidade sempre terá origem na criatividade humana para buscar soluções de forma mais acelerada e efetiva.

 

A importância da Transformação Digital para empresas e o Digital Business

 

Líderes de empresas tecnologicamente maduras já experimentam, de fato, o que é Transformação Digital em suas instituições. Para outros, as suas empresas precisam somente ter presença on-line para se entenderem como companhias plenamente digitalizadas.

O que se tem até aqui, com as novas tecnologias, é a representação de um conjunto de ferramentas disponibilizadas em escala global que possibilitam a reestruturação de empresas com a finalidade de otimizar resultados. Independentemente do tamanho ou dos investimentos de cada organização, deve-se evidenciar que a Transformação Digital faz parte do futuro de todas as instituições que desejam manter-se protagonistas em seus segmentos de atuação.

 

O consumidor no centro das decisões

 

Por último (mas não menos importante), para criar produtos e serviços de real valor para os consumidores e clientes, a tecnologia aplicada à inteligência de dados acaba sendo fundamental. Esta, por meio de aplicações que digitalizam negócios, gera informação relevante para insights que norteiam de maneira segura as futuras tomadas de decisão por parte dos quadros executivos de qualquer organização.

“A Transformação Digital que impacta o consumidor final é permanente”, indica Brendan O’Brien, CTO da Meta. “Penso na Transformação Digital como um passo a mais de um processo muito maior em que o consumidor é parte do Business Evolution de uma organização”, completa. Na era do Human Centered, os produtos, serviços e as soluções são desenvolvidos com base no que já se conhece dos consumidores (por meio dos dados).

Assim, o novo viés atribuído às jornadas de transformação corporativa, produz fluxos de valor ou Value Streams, que sobressai a chamada ‘experiência de consumo’. “Atualmente, quando falamos em Fluxos de Valor, nos referimos ao foco que se deve dar à jornada do cliente e do colaborador”, indica O’Brien. Isto difere do que era a ‘experiência’ na jornada do consumidor conhecida até então. O consumo de experiências implicou no engajamento entre clientes e criadores de soluções ou sistemas. As novas jornadas de Transformação Digital baseadas em Value Streams pretendem capturar a jornada completa da relação ‘produtor-cliente’: desde o primeiro contato com a empresa até o fim da vida. “Esta nova abordagem permite estabelecer relações duradouras entre o consumidor e as organizações que existem para solucionar os problemas das pessoas”, comenta Brendan O’Brien.

Não obstante ao mencionado até aqui, cabe salientar que o verdadeiro poder de quaisquer estratégias de Transformação Corporativa reside no foco que as lideranças adotam em relação aos objetivos previamente determinados. Todas as empresas e seus diferentes setores devem integrar as suas forças para atingir o ápice do potencial (analítico, colaborativo, móvel e de nuvem) das tecnologias digitais por meio da Transformação Digital. 

 

O capital humano nos negócios digitais

 

A Digital Transformation ganha destaque ao estimular a aliança de aspectos específicos do modelo tradicional de negócios e as novas tecnologias em uma jornada de aprimoramento contínuo de produtos e serviços gerados e gerenciados pelo capital humano. “Quaisquer que sejam as estratégias adotadas, a Transformação Digital sempre terá impacto sobre as pessoas. Se olharmos para empresas que se transformaram digitalmente e tiveram sucesso nesses processos, o fator humano e o seu incalculável valor sempre tiveram papéis centrais”, indica Simone Lettieri, Chief Digital Officer (CDO) da Meta.

Ainda sobre o olhar humano na Transformação Digital, vale destacar o impacto positivo que essa mudança cultural tem em relação à Employee Experience (ou EX). Ressaltar a questão é importante, porque, no fim das contas, toda a tecnologia aplicada hoje em dia é desenhada para beneficiar a vida das pessoas, incluindo clientes e colaboradores.  “O olhar humano em relação à Transformação Digital faz toda a diferença”, destaca Adriana Tavares. “Em um primeiro momento, as empresas se valeram dos conceitos do design centralizado no humano (human centered design) para garantir que os seus produtos fizessem a diferença na vida das pessoas. Muitas empresas já adotaram este viés para empoderar e engajar seus colaboradores dentro do que conhecemos como Employee Experience (experiência do colaborador)”, comenta Adriana

Na retomada econômica que se aproxima, que transformará ainda mais os negócios (digitais ou não), seguirá sendo imperativo concentrar esforços para melhorar a experiência de vida das pessoas. Seja no trabalho ou fora dele.

 

Transformação Digital: mais benefícios para melhores resultados

 

Na jornada de Transformação Tecnológica, as trilhas da Evolução Digital são variadas e condizentes às ambições de crescimento que cada organização determina em seu planejamento estratégico. Desde a adequação tecnológica até a Transformação Cultural que impera em uma instituição plenamente digitalizada, os caminhos que levam ao sucesso no futuro do Digital Business estão repletos de desafios. 

Às instituições que alcançam os índices de maturidade digital otimizados, agregam-se ainda mais benefícios que os já descritos anteriormente:

  • Redução de custos
  • Expansão das operações
  • Maior eficiência
  • Inovação
  • Aumento da competitividade 
  • Gestão do conhecimento
  • Escalabilidade
  • Ecossistema digital orientado à inovação e disrupção

 

Transformação Digital demanda experts colaborativos e multidisciplinares 

 

Usar a tecnologia para gerar resultados de negócios é fundamental para o crescimento das instituições. No entanto, o principal ativo das empresas são as pessoas que acreditam no desenvolvimento organizacional e dispõem de conhecimento técnico (aliado às Soft Skills) para estimular o crescimento humano em ambientes de trabalho verdadeiramente colaborativos.

Para acelerar a Transformação Digital da sua organização, conte sempre com a Meta. As equipes altamente especializadas estão prontas para entender o que a sua empresa precisa transformar para o seu negócio atender o mercado digital. 

Conte com soluções de:

 

Juntos criamos oportunidades para um novo amanhã!

Partager:

A Meta conduz organizações na conquista da maturidade digital dos seus negócios. É uma consultoria com mais de 30 anos de mercado e 2,5 mil colaboradores, com atuação global, e que entende a importância da aceleração dos resultados para manter os negócios relevantes em um mercado cada vez mais competitivo. A Meta oferece às organizações as soluções tecnológicas de transformação digital mais adequadas aos modelos e necessidades dos negócios e inspira uma mudança cultural – de ponta a ponta – gerando receita, reduzindo custo, e acima de tudo, valorizando as pessoas como principal capital dessa transformação.